Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Acabem com esse inferno na Terra!

Assine a petição direcionada às lideranças e seleções da Copa do Mundo 2018:

Somos cidadãos do mundo inteiro e pedimos encarecidamente que não compareçam à Copa do Mundo na Rússia a não ser que o governo russo pare de bombardear a Síria. Nenhum país, equipe ou jogador deve tolerar essa violência ao enaltecer o regime russo na Copa do Mundo. Nós lhes pedimos garantias para que o esporte apoie a paz, não a guerra.

Já participa da Avaaz? Digite seu email e clique "Enviar":
Primeira vez? Por favor preencha o formulário:
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

Postado:  14 março 2018
Assine a petição direcionada às lideranças e seleções da Copa do Mundo 2018:
"Somos cidadãos do mundo inteiro e pedimos encarecidamente que não compareçam à Copa do Mundo na Rússia a não ser que o governo russo pare de bombardear a Síria. Nenhum país, equipe ou jogador deve tolerar essa violência ao enaltecer o regime russo na Copa do Mundo. Nós lhes pedimos garantias para que o esporte apoie a paz, não a guerra."
Mais informações:

Há 7 anos, a Síria se tornou o inferno na Terra.

O extermínio conduzido pelo Presidente Assad em seu próprio povo é frio e calculista: ele cerca as cidades para que civis não possam escapar, corta acesso à comida e remédios, e joga bombas -- inclusive armas químicas -- sobre famílias desesperadas. Já são 400 mil mortos -- e sua nova ofensiva em Ghouta Oriental já começou!

O motivo pelo qual Assad consegue continuar com esse horror tem nome: Rússia. Mas há uma coisa que importa mais para a Rússia do que a Síria: salvar sua Copa do Mundo.


A primeira-ministra britânica declarou que seus ministros não vão comparecer, e Austrália, Japão e Polônia estão prestes a fazer o mesmo. Neymar já se manifestou pelas crianças sírias. Se conseguirmos que nosso governo e jogadores se oponham à #copadavergonha, a Rússia pode finalmente ser forçada a parar os bombardeios.