Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Esta petição foi encerrada
Conselho Deliberativo da CASSI Caixa de Assistencia dos Funcionários do BB: VOTEM CONTRA A CONSULTA AO CORPO SOCIAL SOBRE AS PROPOSTAS DO BANCO BRASIL

Conselho Deliberativo da CASSI Caixa de Assistencia dos Funcionários do BB: VOTEM CONTRA A CONSULTA AO CORPO SOCIAL SOBRE AS PROPOSTAS DO BANCO BRASIL

Esta petição foi encerrada
5,004 assinaram. Vamos chegar a   7,500
5,004 Apoiadores

Eta N.
começou essa petição para
Conselho Deliberativo da CASSI Caixa de Assistencia dos Funcionários do BB


Solicitamos aos membros do Conselho Deliberativo da CASSI, Fabiano Felix do Nascimento, Loreni Senger Correa, José Adriano Soares de Oliveira e Antonio Cladir Tremarin, titulares, e Nilton Cifuentes Romão, Milton dos Santos Rezende, Mario Fernando Engelke e Elisa de Figueiredo Ferreira, suplentes, eleitos pelos associados, que NÃO concordem com a Consulta ao Corpo Social sobre as propostas absurdas e inaceitáveis que o Banco está pondo na mesa de negociações, tendo em vista que compete ao Conselho Deliberativo aprovar ou não
a realização da consulta ao Corpo Social, na forma dos artigos 37 e 70 da CASSI.
O Banco do Brasil, para resolver seus problemas contábeis, está armando uma manobra contra os Assistidos da CASSI oferecendo 5,8 bilhões para "quitar" suas obrigações com os
aposentados da CASSI e deixar de cumprir a deliberação CVM 695. Esse encargo decorre da Lei 6.404/1976 normatizada pela Deliberação CVM 695/2012. O que o Banco quer é se retirar como Patrocinador da CASSI e deixar de ter a brigação
vinculada ao contrato de trabalho individual e inegociável. Não teremos vantagem nenhuma aceitando essa proposta. Ele quer continuar a usar a CASSI como chamariz para conseguir novos funcionários para seus quadros. Quer continuar a ter todos os benefícios que até hoje usufruiu sem nenhuma obrigação.
O Banco quer se afastar da responsabilidade pelos déficits, impondo prejuízo unicamente ao associado, mas quer continuar na gestão da CASSI. O associado pagará a conta, ou seja, assinará cheque em branco, dando autonomia ao BB para gerir como quiser, sem qualquer fiscalização.

Não há de se falar em alteração do Estatuto e negociações que resultem em supressão de direitos dos associados
ativos, aposentados e pensionistas. Isso é INEGOCIÁVEL.

Antes de qualquer medida é necessário realizar auditorias independentes nas áreas administrativa e operacional com o objetivo de identificar falhas e irregularidades, otimizar os custos operacionais e despesas da CASSI.

Nós, associados, não aceitamos a proposta do BB. O problema do Banco é somente dele. O foco das questões deve ficar limitado à solução das dificuldades da CASSI.

É a nossa saúde e a de nossa família que está em jogo.