Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Luiz Marinho e Mariana Perin: Atendam as reivindicações.

Luiz Marinho e Mariana Perin: Atendam as reivindicações.

219 assinaram. Vamos chegar a   1,000
219 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Hélio Gonçalves C. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Hélio Gonçalves C.
começou essa petição para
Luiz Marinho e Mariana Perin
Carta aberta a população de São Bernardo do Campo

Por politicas públicas para a Juventude

Nós do Fórum Aberto de Cultura e Arte de São Bernardo (F.A.C.A) viemos através desta carta, alertar a população da nossa cidade, em especial aos jovens, sobre a situação do espaço hoje conhecido como CAJUV ( Coordenadoria de Ações para Juventude) antigamente conhecido como Juventude Cidadã. Apesar de desde a sua criação a mais de 10 anos, o espaço nunca ter tido um projeto politico e pedagógico claro, o CAJUV, através das suas oficinas de iniciação sócio-culturais e sócio-educativas, conseguiu abrir as portar da cultura e da arte para centenas de jovens, através da dança, do teatro, do circo,da música dentre outros, seja de forma profissional ou amadora. Mais do que isso, o CAJUV formou uma comunidade própria que se apropriou desse equipamento público, assim alunos que lá se formaram retornam para lá como oficineiros, para ensaios, ou simplesmente para reencontrar velhos amigos, tornando o CAJUV um espaço de integração e aprendizado para a juventude da cidade. Porém, entendemos que é justamente essa falta de clareza por parte dos sucessivos governos sobre o que de fato é o CAJUV que ele vem perdendo, ano a ano, espaço na dotação orçamentária do município, o que vem ocasionando o fechamento de oficinas dentre outros problemas. Aliado a isso, vemos surgir rumores de que existe a intenção da atual gestão de PRIVATIZA-lo, fechando o CAJUV enquanto equipamento público de usufruto de toda a população e entregando o local onde ele está para o SESC. É importante que se diga que não somos contra a vinda de um SESC para a cidade, mas entendemos que ele deve ir para outro lugar, já que não nos parece justo que um espaço publico seja entregue dessa forma para um ente privado que ditará as regras de uso do equipamento de acordo com seus próprios interesses. O CAJUV, ainda que precariamente, tornou um local de fundamental importância para o desenvolvimento da cultura e da arte na cidade, não só por ser um local de iniciação artística mas também por ter se tornado um dos raros espaços públicos para treinamento, integração e convivência para os artistas da cidade. Artistas de diversas linguagens e que hoje se apresentam em vários lugares do mundo tiveram ali o primeiro contato com a arte, por isso não aceitamos o sucateamento que vem ocorrendo ali e também não aceitamos qualquer ameaça de fechamento de um equipamento público destinado a juventude, muito menos que isso ocorra justamente em um governo que se diz inclusivo.

Diante do exposto, reivindicamos ao prefeito da cidade e ao secretário(a) responsável, o seguinte:

· A não privatização do CAJUV. O Sesc deve ir para outro lugar

· A realização de uma Audiência pública para explicar a situação do CAJUV e os planos da atual gestão para o espaço

. Ampliação dos recursos públicos destinados ao CAJUV, contra o sucateamento.

. Pela criação de um Conselho Gestor do CAJUV formado pela administração, oficineiros e usuários, para que haja transparência nos gastos dos recursos PÚBLICOS destinados a este equipamento.

· A efetivação do contrato de todos os oficineiros, com todas as garantias trabalhistas previstas na CLT. Contra o trabalho precarizado

· Que as oficinas do CAJUV sejam inseridas em um Plano Municipal de Politicas publicas para a Juventude construído com ampla participação da população.

· Contra todas as formas de repressão aos espaços autônomos e as manifestações artísticas e culturais da juventude, em qualquer ponto da cidade.