Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Liberdade para Rubens Moroni Silva de Medeiros!  Paciente de canabis medicinal.

Liberdade para Rubens Moroni Silva de Medeiros!  Paciente de canabis medicinal.

3,809 assinaram. Vamos chegar a   5,000
3,809 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Gerson G. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Gerson G.
começou essa petição para
Pacientes de CANNABIS MEDICINAL
Rubens Moroni não é traficante!

 Na manhã do dia 18 de setembro de 2018, Rubens, 30 anos, servidor público e analista de sistemas foi preso em sua residência em Natal, Rio Grande do Norte em vigor de uma denúncia anônima sobre seu cultivo e uso de cannabis.

Além de Servidor Público e Analista de Sistemas, Rubens é casado e tem uma filho de 3 anos de idade com sua esposa.

Rubens cresceu sob diversas condições que o levou a enfrentar distúrbios psicológicos quais tratava com Cannabis Medicinal.

Filho de Coronel da Policia, sofreu violência doméstica ainda na infância, perdeu sua irmã em um acidente de carro quando seu pai, alcoolizado, conduzia o veículo. 4 anos depois de sua irmã, perdeu sua mãe, vítima de uma meningite bacteriana.


Sofreu no dia 31 de Dezembro de 2013 um acidente grave de moto onde passou por uma reconstrução de sua mandíbula.

Já em 2014, dois dias após receber alta, durante o período de recuperação pós-anestesia, recebeu algumas provocações do seu Pai, e acabou tendo um surto psicótico. 

Durante este episódio, seu pai o denunciou para a polícia e disse que ele estava “enmaconhado”. Assim, Rubens Moroni foi internado compulsoriamente.

Durante seu período de 60 dias internado em dois principais hospícios de Natal, seu Pai não faltou uma dia de visita. E durante estas visitas, segundo Rubens, apesar da fragilidade psicológica dele, seu pai o abusou psicologicamente o quanto pode ao ponto dele querer se suicidar. 



E justo durante uma destas visitas, Rubens foi altamente sedado com duas injeções tranquilizantes porque seu pai o despertava muitas coisas traumáticas que iniciavam mais surtos..

Até que, seu Pai, Coronel da Polícia, teve que voltar a morar no estado do Acre, e assim ordenou a saída de Rubens do Hospício.

Rubens ficou sozinho, e foi acolhido por amigos e conhecidos que sabiam quem ele realmente era.

Após isso, recuperado, Rubens se tornou Ativista sobre o uso medicinal da Cannabis para tratamento de ocasiões envolvendo Estresses Pós-Traumáticos e doenças com Câncer.



Há menos de um ano, estava começando a iniciar o projeto de um blog com informações medicinais a respeito da Cannabis (novaamsterdam.com.br).

Rubens já frequentou tanto um Psicólogos quanto Psiquiatras, e possui laudos que comprovam sobre sua condição mental.

Acreditamos que Rubens tenha sido perseguido como Ativista a Favor da Legalização da Cannabis Medicinal.

Rubens não é traficante. Rubens é grower, e consome sua maconha para melhoria sua saúde mental.