Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK

Isso é uma emergência: 
Participe da greve global pelo clima ​​​​sexta-feira, 20 de Setembro

Prefeitura e Câmara Municipal de Belo Horizonte: NÃO AO PL 387/2017 – Aumento do ISS em BH

Prefeitura e Câmara Municipal de Belo Horizonte: NÃO AO PL 387/2017 – Aumento do ISS em BH

1,262 assinaram. Vamos chegar a   2,000
1,262 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Júlia M. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Júlia M.
começou essa petição para
Prefeitura e Câmara Municipal de Belo Horizonte
NÃO AO PL 387/2017 – Aumento do ISS em BH

A Prefeitura Municipal de Belo Horizonte pretende, através do Projeto de Lei nº 387/2017, aumentar de 3 para 5% a alíquota de ISS aplicável às atividades de empresas de administração de cartões de crédito e credenciadoras, factorings, leasings, franquias, entre outros. O Projeto de Lei, nos termos da Lei Complementar Federal nº 157/16, também traz alterações quanto ao local em que o ISS é recolhido, fazendo com que o imposto deixe de ser devido na cidade sede da empresa e passe a ser pago ao município do consumidor dos serviços das administradoras e credenciadoras de cartão de crédito, além de planos de saúde, por exemplo.

Em outras palavras, o aumento de alíquota pode fazer com que a operação das empresas em determinados municípios se torne desvantajosa ou até inviável, especialmente se a receita da empresa no local for pequena.

As alterações propostas também impactarão significativamente as atividades de Startups que atuam nesses setores, o que pode levá-las a transferir suas sedes para cidades em que a tributação seja mais vantajosa, como a cidade do Rio de Janeiro, que recentemente reduziu para 2% a alíquota do ISS, sob o argumento de que vinha afugentando empresas do setor (veja notícias abaixo).

Cabe ainda destacar que a votação do Projeto de Lei em caráter de urgência, em sessão extraordinária marcada para segunda-feira, dia 24/10/2017, é temerária e inviabiliza qualquer debate sobre a matéria, que permitiria evidenciar que os prejuízos causados podem superar a arrecadação almejada.

Portanto, a medida proposta pela PBH está na contramão do progresso, sobretudo na cidade que sedia o San Pedro Valley e que pretende se destacar como capital da inovação no Brasil.

Junte-se a nós e diga NÃO AO PL 387/17!

http://revistapegn.globo.com/Administracao-de-empresas/noticia/2017/03/prefeitura-do-rio-quer-reduzir-imposto-das-operadoras-de-cartoes-de-credito.html

http://revistapegn.globo.com/Negocios/noticia/2017/06/empresas-ameacam-deixar-cidades-por-iss.html

http://www.rio.rj.gov.br/web/smf/exibeconteudo?id=141571