Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Abaixo-assinado à Presidente e ao Congresso Nacional! Pedido de Recurso às Moradias para Pessoas Deficientes

Abaixo-assinado à Presidente e ao Congresso Nacional! Pedido de Recurso às Moradias para Pessoas Deficientes

908 assinaram. Vamos chegar a   5,000
908 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Marilice C. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Marilice C.
começou essa petição para
Presidente da República e membros do Congresso Nacional
Muitas famílias se encontram desagregadas, adoecidas por exaustão (síndrome de burn-out) no cuidado intermitente de seus deficientes mentais; têm despesas incompatíveis com sua renda, dependentes de cuidados especializados. A ansiedade crônica, o medo, a incerteza e a impotência levam o grupo à depressão e o resultado é o abandono de si, o adoecimento coletivo, o envelhecimento precoce, a miséria humana.
A ausência de política pública para moradias (consideradas privadas) vem gerando minimanicômios pelo país. A desassistência demonstra que a reforma antimanicomial não atingiu ainda esses objetivos, causando esgotamento dos cuidadores e, muitas vezes, o abandono.
A terminologia utilizada em instituições públicas referente à habitação para pessoa com deficiência mental (residências/lares/pensões/casas ou moradias assistidas) é causa de impedimento na obtenção de verbas e convênios.

Ora, são OBRIGAÇÕES ESTATAIS:
regulamentação (funcionamento e arquitetura), fiscalização;construção e manutenção;apoio para gestão; capacitação de cuidadores;Rede de Atenção Psicossocial (o SUS é para todos!).
PORTANTO, faz-se URGENTE:

1) uniformizar a terminologia;
2) estabelecer políticas públicas para estimular a
criação de moradias assistidas, possibilitando sua manutenção e o cuidado efetivo e singular;
3) capacitar cuidadores e
formar gestores;
4) ampliar o quadro de servidores na rede de saúde e capacitá-los para atender inclusive os autistas;
5) ampliar a rede de CAPS e CENTROS-DIA;
6) estimular a criação de convênios e afins.


Vale lembrar que os cuidadores também são cidadãos necessitados de cuidados e que ter moradia é um dos direitos na Constituição Brasileira.

*Texto base: Carta de Porto Alegre, resultado do I ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA MENTAL (transtornos mentais, autismo e outras síndromes), 23 de agosto de 2014, promovido pelo Movimento Pró-Vida Assistida, que reúne entidades que lutam por uma vida digna para as pessoas com deficiência mental e para seus cuidadores, desde 2011.
https://www.facebook.com/MPVidaAssistida

Saiba mais aqui:
Entrevista de 19/03/2015. Programa Cidadania - TVE RS:
https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&list=PLEVHKqwu2VEhiCEa6UEp-QLnL440Ne9bv&v=otw9....