Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Participe do abaixo-assinado contra o fim da Justiça do Trabalho:

Participe do abaixo-assinado contra o fim da Justiça do Trabalho:

382 assinaram. Vamos chegar a   500
382 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Sitraemg . e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Sitraemg .
começou essa petição para
Participe do abaixo-assinado contra o fim da Justiça do Trabalho
A Justiça do Trabalho está sendo ameaçada de extinção. O órgão foi instalado no Brasil por Getúlio Vargas, no dia 1º de maio de 1941, para julgar os litígios recorrentes das leis trabalhistas. Ele anunciou a CLT na década de 40, que vigora até hoje, garantindo as férias, 13º salário, adicional noturno, auxílio alimentação, assistência médica e odontológica, entre outros. Esses benefícios para os trabalhadores são frutos de uma resistência que não pode ser desfeita. É hora de reagimos em defesa dos direitos sociais e dos trabalhadores. Assine a petição do SITRAEMG para garantir a permanência da Justiça do Trabalho, dos direitos sociais e dos trabalhadores. 

Durante entrevista ao SBT, no dia 03/01, Bolsonaro defendeu a possibilidade do fim do órgão, usou exemplos do exterior e disse que os processos trabalhistas têm de tramitar na Justiça comum, além de enfatizar que há um "excesso de proteção" aos trabalhadores. Questionado sobre a possibilidade de o governo dele encapar o fim da Justiça do Trabalho, o presidente respondeu: “Poderia fazer, está sendo estudado. Em havendo clima, poderíamos discutir e até fazer uma proposta”. O presidente também afirmou: “Qual o País do mundo que tem [Justiça do Trabalho]? Tem é a Justiça Comum”. 

Em 2018, o Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor) lançou a campanha “8 fake news sobre a Justiça do Trabalhocom o objetivo divulgar a verdade sobre as notícias falsas para enfraquecer a JT. A campanha esclareceu que outros países possuem tribunais especializados em trabalho. A Inglaterra, Nova Zelândia, Alemanha, Austrália, França, Bélgica, Israel, Suécia, México, Chile, Argentina e Paraguai são alguns exemplos de países que possuem cortes especializadas em casos laborais. Inclusive, muitos dos países desenvolvidos possuem estruturas muito similares à da Justiça do Trabalho brasileira. 

Reivindicamos a permanência da Justiça do Trabalho, uma vez que o órgão é de extrema importância, tendo em vista que concilia e julga as ações judiciais entre trabalhadores e empregadores e outras controvérsias decorrentes da relação de trabalho, de forma célere, bem como as demandas que tenham origem no cumprimento de suas próprias sentenças, inclusive as coletivas. 

Não podemos permitir que a Justiça do Trabalho seja extinta com ocorreu com o Ministério do Trabalho, que foi desmontado pelo governo. O trabalhador é a parte mais frágil na relação com o patrão, por isso a Justiça Trabalhista precisa ser protegida. A sua mobilização é essencial. Assine a petição, pois juntos somos mais fortes.