Protejam nossa saúde, parem a Monsanto

Para a ANVISA, Ministérios da Agricultura, da Saúde e do Meio Ambiente, às autoridades dos Estados Unidos, União Europeia, Canadá e de todos os ministros e reguladores responsáveis pela política de Saúde e Meio Ambiente ao redor do mundo:

Como cidadãos de todas as partes do mundo, ficamos alarmados ao saber que o glifosato é "possivelmente cancerígeno para seres humanos". Apelamos para que os senhores exerçam o princípio de precaução e suspendam imediatamente a aprovação do glifosato, presente em herbicidas como o Roundup da Monsanto. Pedimos ainda que os senhores considerem os estudos da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer e incluam-nos em seu trabalho atual de avaliação de segurança do glifosato, bem como garantam que todas as avaliações sejam transparentes e baseiem-se em outros estudos independentes que tenham sido feitos por pesquisadores sem conflitos de interesse. Até que seja comprovada a segurança do glifosato, os senhores devem garantir que as pessoas não sejam expostas a este perigo.
 
Você já é um apoiador da Avaaz? só precisa preencher seu email e clicar "Enviar"
Primeira vez aqui? Por favor preencha o formulário.
Avaaz.org vai proteger sua privacidade e lhe manter atualizado sobre essa e outras campanhas semelhantes.

Os maiores cientistas do mundo lançaram um alerta: o herbicida mais utilizado no planeta provavelmente causa câncer! A Monsanto, produtora do herbicida, está exigindo que a Organização Mundial de Saúde (OMS) volte atrás sobre o alerta e, segundo especialistas, a única maneira de garantir que a ciência não seja ignorada é com pressão popular por ações imediatas das autoridades.

O sistema que regula agrotóxicos é conhecido por ser sigiloso e influenciado pela indústria de produtos agroquímicos, mas temos um momento único para agir: o uso do herbicida "glifosato" está sendo reavaliado no Brasil, e há processos semelhantes em andamento nos Estados Unidos, Canadá e Europa. Na Holanda, Sri Lanka e El Salvador, os reguladores já pensam até em proibir o produto.

A ameaça é clara: este veneno é usado em nossos alimentos, campos, áreas de lazer e ruas. Vamos suspendê-lo. Assine a petição urgente e espalhe a notícia.

Compartilhe nas redes

Clique para copiar: