Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK

UE: Acabe com a venda de armas para a Arábia Saudita

Para os membros do Parlamento Europeu, líderes da Grã-Bretanha, Estados Unidos, Canadá, Alemanha, França e todos os outros países que vendem armas à Arábia Saudita:

Nós, cidadãos do mundo, exigimos que vocês suspendam todo o comércio de armas com a Arábia Saudita, até eles acabarem com os ataques ao Iêmen e iniciarem um processo genuíno de pacificação. Com 119 violações das leis humanitárias internacionais documentadas pela ONU, é inaceitável fingir que nada está acontecendo. A Arábia Saudita pode estar usando armas fornecidas pelos nossos países para bombardear civis indiscriminadamente.

Preencha o seu email:
Por favor acione o Javascript para uma performance melhor desta página
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

Eles bombardeiam escolas, hospitais e até festas de casamento. O que a Arábia Saudita está fazendo no Iêmen é repugnante, e eles contam com armamentos comprados da Europa, EUA e Canadá. Mas em apenas alguns dias nós podemos conseguir o inimaginável: uma decisão histórica que pode travar o fluxo de armas para os sauditas.

O Parlamento Europeu está a poucos dias de votar um embargo que valeria para toda a União Europeia. Mas, sob intensa pressão do lobby saudita, alguns políticos estão hesitantes.

Agora, mais do que nunca, esses líderes precisam saber que pessoas do mundo todo esperam que eles tomem a iniciativa de dizer NÃO para as atrocidades cometidas pela Arábia Saudita. Assine agora a petição exigindo o embargo ao comércio de armas. Precisamos mostrar aos governantes europeus que eles têm o apoio de uma maioria esmagadora.

Compartilhe nas redes

Clique para copiar: