Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
A maior e mais efetiva comunidade de campanhas online para mudanças

Apoio polular: Presos Políticos se tornam réus, ditadura 2017

Esta petição foi encerrada
Apoio polular: Presos Políticos se tornam réus, ditadura 2017
  
  

 


Por que isto é importante

Essa petição é um apoio da sociedade aos 18 jovens. Ela será entregue para a juíza através do
advogado, para que ela tenha ciência de que esses 18 jovens não estão sozinhos. Segue abaixo
o relato dos fatos
Dia 04/09, antes de manifestação por Diretas Já, 22 jovens foram presos em uma operação
hollywoodiana da PM de São Paulo, com a presença de um capitão infiltrado do exército em
uma operação ilegal. Os jovens não tinham absolutamente nada que pudesse caracterizar um
crime ou a intenção de um crime. Portavam apenas vinagre, itens de primeiros socorros,
blusas, e folhas de papel, mesmo assim foram conduzidos ao DEIC, onde ficaram
incomunicáveis por mais de 6 horas, sem acesso a advogados ou a pelo menos avisar seus
familiares. Porém, o vereador Eduardo Suplicy, o deputado Paulo Teixeira e o Nabil Bonduque
foram até a delegacia, quando perceberam a dimensão do absurdo que acontecia ali. Famílias
e advogados impedidos de ter acesso aos jovens, que descobriram que permaneceriam
detidos através do Suplicy. A mobilização dos advogados, da mídia independente, dos direitos
humanos, e do vereador e deputado conseguiram que houvesse a audiência de custódia no dia
seguinte, foi quando o juiz que analisou o caso considerou a prisão ilegal e libertou os jovens
da acusação de formação de quadrilha e corrupção de menores.
Porém, a história não acaba ai. Na véspera de natal de 2016, os jovens descobriram através de
uma matéria de jornal que estavam sendo denunciados pelo Ministério Público de São Paulo. A
acusação foi feita pelo promotor Fernando Albuquerque (o mesmo promotor que em
22/09/2011, agrediu fisicamente e verbalmente um advogado durante julgamento no Fórum
Criminal da Barra Funda, em São Paulo). Ele acusa os 18 jovens de terem intenção de depredar
patrimônio público e agredir policiais. Denúncia descabida, copiada e colada diversas vezes por
ele, sendo que o infiltrado que armou a emboscada atraindo os jovens até o Centro Cultural
São Paulo foi por ele esquecido, não é citado. No dia 23/08/17, a juíza Cecilia Pinheiro da
Fonseca, da 3ª Vara Criminal, aceitou a denúncia. Não podemos concordar que esses jovens
sejam condenados. Cada uma dessas pessoas tem vida, família, trabalho e o mais importante,
nenhuma delas cometeu nenhum crime.
Assinam o apoio aos jovens:

Postado agosto 30, 2017
Relatar isso como inapropriado
Clique para Copiar: