Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
A maior e mais efetiva comunidade de campanhas online para mudanças

Extinção de bombas atômicas

Esta petição está esperando pela aprovação da Comunidade da Avaaz.
Extinção de bombas atômicas
  
  

 


Por que isto é importante

AJUDE-NOS E ASSINE A PETIÇÃO:

Estou começando esta petição para que os chefes de países que tem produção e armazenamento de armas nucleares "Bomba Atômicas" e outras armas de destruição em massa, parem com a produção e armazenamentos das mesmas. Para podemos ter um mundo de luz e não de trevas. Essas armas tem cheiro de morte e extermínio em massa de povos de todas as origens. Peço a todos que assinem a petição e divulgam em sites e blogs para conseguir chegar a (1 BILHÃO) de assinaturas. Tudo isso, para uma geração futura sem a sombra da morte e doenças que arrastam por milhares de anos mudando o DNA das pessoas.

Quando o núcleo do átomo de urânio 235 é atingido velozmente por um nêutron em alta velocidade, ele se quebra em dois pedaços e lança mais nêutrons e porções de energia. Cada um dos nêutrons projetados pela quebra atinge outros núcleos de átomos de urânio, realizando novamente a quebra e gerando mais nêutrons e mais energia, e assim sucessivamente. Esse processo é chamado de fissão nuclear (fissão=quebra, nuclear= núcleo) e significa a quebra do núcleo.

Em 06 de agosto foi lançada a primeira bomba em Hiroshima e três dias depois a segunda bomba em Nagasáqui. Tais lançamentos provocaram a morte de 200 mil pessoas em Hiroshima e de 150 mil pessoas em Nagasáqui. Essa arma nuclear tinha a potência equivalente a 20 mil toneladas de dinamite. Ainda hoje, passados 58 anos da explosão da primeira bomba atômica, o número de vítimas continua sendo contabilizado.


Postado abril 30, 2018
Relatar isso como inapropriado
Clique para Copiar: