A maior e mais efetiva comunidade de campanhas online para mudanças

Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria de Cultura, IPHAN, MINC e SPU.: A Ação da Cidadania sob ataque

Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria de Cultura, IPHAN, MINC e SPU.: A Ação da Cidadania sob ataque
  
  

 


Por que isto é importante

Após matéria divulgada dia 12/05 na Folha de São Paulo (http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/05/1883309‐ong‐fundada‐por‐betinho‐deve‐ser‐despejada‐para‐dar‐lugar‐a‐museu.shtml) e em face do processo movido pela secretaria municipal de cultura da Prefeitura do Rio de Janeiro em conjunto com o IPHAN, que agem pela saída da Ação da Cidadania do galpão que ocupam há 17 anos, para instalação do Museu da Escravidão e Liberdade em um processo que exclui a entidade do diálogo da ocupação do espaço, passando sua gestão para outra organização.

Reconhecendo a importância da entidade para a existência e a preservação do espaço, em que a mesma investiu quase 15 milhões de reais ao longo dos 17 anos que ocupa o galpão entre recuperação, manutenção e conservação sem qualquer apoio do estado em todo este período, especialmente da Secretaria Municipal de Cultura ou do IPHAN.

Valorizando o território, emblemático para a cultura afro‐brasileira por conta do cais do valongo e do André Rebouças, primeiro engenheiro negro Brasileiro, mas também emblemático pela construção cultural e social da região realizado ao longo destes 17 anos pela Ação da Cidadania desde quando a região era totalmente degradada até os dias de hoje.

Em face do momento de grave crise financeira do poder público no país, em que a própria cultura da cidade sofre com redução de pessoal, fechamento de espaços culturais e falta de recursos para quitação de dívidas de fomento cultural.

Reconhecendo que a entidade dispõe de projeto, interesse e parceiros para a construção de um museu sobre a história da cultura afro‐brasileira no espaço há mais de 10 anos, aguardando apenas o termo de cessão definitivo para dar início ao projeto e a outros projetos estruturantes para o espaço.

E, por fim, em respeito à memória da entidade e seus projetos sociais e culturais que alimentou mais de 15 milhões de Brasileiros nos momentos mais difíceis do país e de seu fundador Herbert de Souza, o Betinho, reconhecido internacionalmente, venho por meio desta expressar minha solidariedade à entidade neste momento em que enfrenta uma dos maiores desafios de sua existência: se defender de um poder público que, sem diálogo, passa por cima da história e especialmente da luta de uma entidade que ajudou, por exemplo, a criar os alicerces para o Bolsa Família e para a seguridade social de milhões de brasileiros.

Não se constrói um belo projeto destruindo outro.

Postado maio 12, 2017
Relatar isso como inapropriado
Clique para Copiar: