Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK

México: pare com os ataques à liberdade de expressão!

Para: Rodolfo Rios Garza, procurador de Justiça do Distrito Federal mexicano, Ricardo Nájera, procurador especial para crimes contra a liberdade de expressão, e Enrique Peña Nieto, presidente do México:

Nós exigimos uma investigação completa e independente dos assassinatos do jornalista Rubén Espinosa, da ativista de direitos humanos Nadia Vera e de outras três mulheres na Cidade do México. O governador do estado de Veracruz, Javier Duarte, deve ser investigado minuciosamente e sem atrasos. Também exigimos uma revisão imediata dos procedimentos estabelecidos para proteger a vida de jornalistas, assim como o compromisso em garantir e proteger a liberdade de expressão no México!

Preencha o seu email:
Por favor acione o Javascript para uma performance melhor desta página
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

Rubén Espinosa, repórter fotográfico mexicano, acabou de ser encontrado morto, e seu corpo tinha marcas de tortura. Junto com ele estavam Nadia Vera, ativista de direitos humanos, e três outras mulheres.

A liberdade de expressão está sob ataque em uma das mais antigas democracias da América Latina. Rubén é o 14º jornalista assassinado no estado sulista de Veracruz, cujo governador Javier Duarte tem feito ameaças abertas contra jornalistas. Praticamente nenhum destes crimes foi solucionado.

Este caso, porém, levou milhares de pessoas às ruas e detonou uma bomba na imprensa nacional e internacional. Agora pessoas como o ator Gael García Bernal, o jornalista Caco Barcellos, o escritor John Green e centenas de outros jornalistas, escritores e artistas assinaram uma carta aberta pedindo justiça para os jornalistas assassinados no México por causa do seu trabalho.
A carta já está causando repercussão dentro do governo, mas se a gente acrescentar mais de um milhão de assinaturas e publicá-la nas primeiras páginas dos jornais mexicanos, será possível conseguir justiça e mostrar que pessoas de todo o mundo estão do lado da liberdade de expressão no México. Adicione sua voz agora:

Compartilhe nas redes

Clique para copiar: