Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK

1 Milhão para proibir o comércio de leões

Para o presidente Zuma da África do Sul :

Como cidadãos de todo o mundo, com grande respeito pela África do Sul e por seu magnífico patrimônio natural, apelamos ao senhor para proibir o comércio cruel e sem sentido dos ossos e órgãos de leão, que está incentivando uma indústria que poderia conduzir os leões à beira da extinção. Esperamos ser capazes de visitar a África do Sul e apoiar a sua indústria do turismo, e gostaria de recomendar essa viagem para nossos amigos. Esperamos que o senhor possa remover a mancha deste comércio de leão da reputação do seu país e nos ajudar a apoiá-lo com a consciência limpa.

Já participa da Avaaz? Digite seu email e clique "Enviar":
Primeira vez? Por favor preencha o formulário:
Adicione seu número de telefone se você gostaria de ser contatado via SMS ou ligação.
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

Centenas de leões sul-africanos estão sendo abatidos para a produção de poções falsas para sexo para os homens. Mas podemos acabar com este comércio cruel ameaçando o governo em um tema sensível - a indústria do turismo.

A proibição mundial da venda de ossos de tigre fez com que comerciantes fossem atrás de um novo prêmio - os majestosos leões. Leões são criados em condições terríveis na África do Sul para "caça enlatada", onde os turistas ricos pagam fortunas para matá-los através de cercas. Agora, especialistas dizem que os ossos de leão dessas fazendas assassinas estão sendo exportados para os fabricantes de falsa 'medicina' na Ásia com enormes lucros. O comércio está explodindo e especialistas temem que à medida que os preços subam, mesmo os leões selvagens - apenas 20.000 restantes na África - sofrerão o ataque da caça furtiva.

Se pudermos mostrar ao Presidente Zuma que este comércio está prejudicando brutalmente a imagem da África do Sul como destino turístico, ele poderá proibir e punir o comércio de ossos de leões. A Avaaz colocará anúncios impactantes em aeroportos, sites e revistas de turismo, mas precisamos urgentemente de 1 milhão de assinaturas na nossa petição para dar força a estes anúncios. Assine ao ladol para aumentarmos nossas assinaturas rapidamente!
Postado: 27 junho 2012