Clique em Configurações de Cookies para usar este recurso.
Em seguida, clique em 'Permitir Todos' ou ative apenas os 'Cookies Publicitários'
Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Combate ao preconceito religioso contra mulheres muçulmanas no mercado de trabalho

Combate ao preconceito religioso contra mulheres muçulmanas no mercado de trabalho

538 assinaram. Vamos chegar a   750
538 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Gisele R. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Gisele R.
começou essa petição para
Ministro do Trabalho Carlos Daudt Brizola e Ministério do Trabalho.
No Brasil, preconceito religioso é crime. No entanto, muitas mulheres hoje em dia estão em situação de vulnerabilidade econômica e social pelo simples fato de que sofrem preconceito religioso no mercado de trabalho, tendo suas contratações barradas, não conseguindo emprego simplesmente por conta da sua religião.

O Brasil tem atualmente cerca de 1 milhão e meio de muçulmanos, e destes, a grande maioria é composta por mulheres brasileiras que em grande parte são responsáveis pelo sustento da sua casa e de seus filhos.

Além daquelas que contribuem com o marido no sustento da casa, temos também um grande número de mulheres que são as únicas provedoras da sua família, muitas são viúvas, separadas ou solteiras.

A lei já existe mas não está sendo cumprida, e estas mulheres embora sejam qualificadas e competitivas, têm o direito ao acesso ao trabalho negado por preconceito contra o Islam.

Este ato, criminoso, causa um grande ônus não só para estas mulheres e suas famílias, como também contribui para o prejuízo social, financeiro e pessoal para toda a sociedade.

Pelo fim do preconceito religioso no mercado de trabalho para todos, em especial para mulheres muçulmanas que hoje se encontram em situação de vulnerabilidade social e econômica por sofrerem o preconceito contra a sua religião.
Postado: 7 junho 2012 (Atualizado: 19 dezembro 2015)