Clique em Configurações de Cookies para usar este recurso.
Em seguida, clique em 'Permitir Todos' ou ative apenas os 'Cookies Publicitários'
Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
João Dória Pela expansão da Politica de Redução de Danos em São Paulo

João Dória Pela expansão da Politica de Redução de Danos em São Paulo

447 assinaram. Vamos chegar a   500
447 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Helena Fonseca R. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Helena Fonseca R.
começou essa petição para
João Dória
Há dois anos e meio, a cidade de São Paulo vem mostrando que é possível melhorar a vida das pessoas que usam crack e outras drogas nas ruas sem varrer o problema para debaixo do tapete.

O programa De Braços Abertos conseguiu que 500 pessoas da maior cena de uso de crack do país escolhessem pacificamente desmontar seus barracos nas calçadas para dormir em hotéis sociais e participar de frentes de trabalho.

Com endereço fixo e a segurança de ter onde dormir, comer e trabalhar, essas pessoas construíram uma nova relação com as equipes da saúde e assistência social da prefeitura. E os resultados já apareceram: 95% aprovam o programa, 88% diminuíram o consumo de drogas, 83% estão em tratamento de saúde e 54% retomaram o contato com a família, segundo pesquisa independente da Plataforma Brasileira de Políticas sobre Drogas e informações dos beneficiários.

É por isso que o programa tornou‐se referência mundial na redução de riscos e danos para usuários de drogas. Os paulistanos, que acabam de escolher um novo prefeito, já sabem que redução de danos não é bolsa‐crack e por isso 69% apoiam o programa, segundo o Datafolha. Se essa política acabar, para onde vão as 500 pessoas que nenhuma outra política conseguiu acolher? E aqueles que ainda estão nas ruas e aguardam a expansão das vagas?

Não queremos voltar atrás. Não podemos deixar ninguém para trás. As políticas de redução de danos para usuários de drogas no município de São Paulo têm que continuar crescendo.
Postado: 8 novembro 2016 (Atualizado: 10 novembro 2016)