Clique em Configurações de Cookies  para usar este recurso.
Em seguida, clique em 'Permitir Todos' ou ative apenas os  'Cookies Publicitários'
Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies .
OK
Por 10% do PIB para a Educação e Reforma da Carreira Docente

Por 10% do PIB para a Educação e Reforma da Carreira Docente

8,416 assinaram. Vamos chegar a 10,000
8,416 Apoiadores

Complete a sua assinatura

,
Avaaz.org protegerá sua privacidade. e te manterá atualizado sobre isso e campanhas similares.
Esta petição foi criada por Maurício F. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Maurício F.
começou essa petição para
Aloizio Mercadante (Ministro da Educação)
O Ensino Público Superior Federal sempre foi sinônimo de qualidade em educação no Brasil, apesar de nas últimas décadas as universidades federais terem sofrido com a falta de verbas para suas atividades e de valorização da carreira acadêmica. Esses fatores têm contribuído para a redução na qualidade do ensino, principalmente pelo fato dos professores mais produtivos, valorizados no mercado e desvalorizados na universidade, estarem saindo em busca de condições mais justas. Por outro lado, a geração de doutores que o Brasil vem formando nos últimos anos tem demonstrado pouco interesse no ingresso na carreira acadêmica por conta dos motivos já citados, dificultando a renovação do corpo docente. A continuidade deste quadro favorece que o ensino superior venha a se tornar, assim como o ensino fundamental e médio, sinônimo de baixa qualidade, e que apenas através do ensino privado os brasileiros possam ter acesso a educação de qualidade.

Não existe país desenvolvido sem forte investimento em educação! Não existe bom profissional (médico, engenheiro, arquiteto, etc.) sem um bom professor na universidade. É preciso que o Brasil volte a investir em educação para que seu desenvolvimento seja sólido e constante. Existe um projeto de lei em desenvolvimento pela Comissão de Educação e Cultura (CEC) da Câmara Federal para garantir que 10% do PIB sejam investidos em educação. Hoje o Brasil não investe nem 7% do PIB em educação.

É preciso pressionar o governo para que essa lei seja aprovada, pois ela pode garantir a verba necessária para solucionar graves problemas existentes hoje, que culminaram com uma forte greve nacional das IFEs, iniciada no dia 17 de maio e que hoje já paralisa as atividades em 55 das 59 Universidades Federais Brasileiras. Apesar da forte adesão e dos quase 10 dias de greve, o Ministro da Educação, Sr. Aloísio Mercadante, interrompeu as negociações após o governo apresentar uma proposta de carreira que consegue ser pior que a atual.

Somos mais de 100 mil professores em greve. São mais de 1 milhão de alunos prejudicados com a paralisação das aulas. Quando atingirmos 10 mil assinaturas esta petição será encaminhada ao Sr. Mercadante!

Vamos mostrar a força de um movimento formado por alunos e professores e juntos construir uma situação melhor para o ensino público deste país.

PELA REABERTURA DAS NEGOCIAÇÕES. POR UMA PROPOSTA DE CARREIRA QUE SEJA ATRATIVA. POR MELHORES CONDIÇÕES DE TRABALHO! NEGOCIA MERCADANTE!


Postado (Atualizado )