Clique em Configurações de Cookies para usar este recurso.
Em seguida, clique em 'Permitir Todos' ou ative apenas os 'Cookies Publicitários'
Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Professores e demais profissionais das áreas de educação, C&T: Mensagem de solidariedade ao Presidente Lula

Professores e demais profissionais das áreas de educação, C&T: Mensagem de solidariedade ao Presidente Lula

1,981 assinaram. Vamos chegar a   3,000
1,981 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Celso M. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Celso M.
começou essa petição para
Professorese demais profissionais das áreas de educação, C&T
Em defesa da democracia e de uma justiça efetiva e não partidarizada.

Ao Excelentíssimo Senhor Presidente Luís Inácio Lula da Silva

Senhor Presidente,

É tomados da mais justa indignação cívica que nós, professores, pesquisadores e demais profissionais das áreas de educação, ciência e tecnologia, vimos prestar nossa irrestrita solidariedade a V. Excia. por ocasião do anúncio oficial da sentença condenatória exarada pelo juiz Sérgio Moro.

Uma sentença já aguardada ao longo de todo o processo, como prova de que hoje em nosso País existe uma justiça seletiva e caolha, que julga antecipadamente a partir do viés ideológico de seus agentes, construído por convicções pessoais e que tem sido alimentado pela pressão da grande mídia e de redes sociais manipuladas por interesses nem sempre nacionais.

Na condenação de V. Excia., provas documentais se mostraram menos importantes que a necessidade de criar obstáculos à continuidade de sua atuação política em favor do desenvolvimento de uma nação mais justa e menos desigual. É ela o exemplo maior, embora infelizmente não isolado, da prevalência de uma justiça de classe, que persegue o banimento e criminalização de políticas voltadas para a afirmação de uma nação independente e soberana e para a busca de um concerto social em que todos pudessem se beneficiar, mas com o progressivo avanço das classes economicamente menos favorecidas e a redução da pobreza extrema.

A democracia brasileira sofre com isso mais um golpe, em um crescendo de arbitrariedades que visam deslegitimar o exercício da política e abertamente flertam com o autoritarismo. São manifestações de quem receia a vontade popular, a ser expressa em eleições limpas e livres de qualquer subterfúgio legal. São as mesmas forças que atropelam a soberania nacional e os direitos da cidadania com a atabalhoada implementação de medidas que jamais seriam aprovadas após uma discussão legítima em que houvesse a participação aberta da sociedade.

São essas as razões que nos levam a nos posicionarmos em sua defesa, na certeza de que, juntos, sem medo ou ódio, nossa indignação se transformará em energia cada vez maior para a construção de um Brasil mais justo.

Temos a confiança de que a maioria do povo brasileiro está ao nosso lado na busca da reversão dessa decisão esdrúxula. A luta política não termina aqui. Antes, a resistência ao arbítrio prosseguirá cada vez mais forte, em um desafio para o qual a presença e a liderança de V. Excia. continuarão a se fazer essenciais.

Respeitosamente,

Celso P. de Melo
Sergio Rezende
Luiz Moniz‐Bandeira
Ennio Candotti
Reinaldo Guimaraes
Otavio Velho
Sidarta Ribeiro
Alberto Passos Guimarães
Naomar Almeida Filho
....





Postado: 13 julho 2017 (Atualizado: 1 agosto 2017)