Clique em Configurações de Cookies para usar este recurso.
Em seguida, clique em 'Permitir Todos' ou ative apenas os 'Cookies Publicitários'
Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Somos contra a privatização da Cemig

Somos contra a privatização da Cemig

1,616 assinaram. Vamos chegar a   2,000
1,616 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Marcelo C. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Marcelo C.
começou essa petição para
ABCF
A CEMIG é do povo mineiro

Privatização trará prejuízos econômicos e sociais para Minas Gerais

As justificativas do governo estadual para vender a Cemig não encontram respaldo em dados objetivos que podem ser verificados no balanço da empresa, no Portal da Transparência e na ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

As informações destas fontes oficiais são claras:

- A Cemig é lucrativa. De acordo com o balanço da empresa, a Cemig aumentou seu lucro em 70% em 2018. De janeiro a junho de 2019, a Cemig lucrou R$ 2,9 bilhões. Isso gera dividendos, ou seja, dinheiro para o caixa do governo, maior acionista da empresa. Sem contar os investimentos feitos pela Cemig (R$ 1,3 bilhão em 2018), aliviando as obrigações e caixa do estado. Minas Gerais vai perder receita com a venda da Cemig.

- A Cemig presta ótimos serviços. Segundo a ANEEL, o nível de satisfação dos consumidores com a Cemig é de 68,41% em 2018, acima da média nacional das outras empresas de energia.

- Todas as empresas elétricas privatizadas no Brasil aumentaram a tarifa e pioraram os serviços. A empresa de energia de Goiás foi privatizada em 2017 e a população do estado tem enfrentado falta de energia e interrupções. Foram 26,61 horas sem energia contra 12,85 horas na média nacional e o dobro de interrupções (15,03 vezes) da média nacional (7,17 vezes). É a empresa pior avaliada pela ANEEL.

- A venda da Cemig não vai pagar nem 5% da dívida do estado. A Cemig está avaliada em R$ 23,3 bilhões. O governo estadual tem 17% das ações totais da Cemig (entre ações com direito a voto e preferenciais). Portanto, o governo receberia apenas R$ 3,961 bilhões com a venda. Só a dívida com o governo federal é de R$ 85 bilhões. Esse dinheiro, correspondente a 4,66% da dívida, nem arranha o total devido.

- O valor a ser arrecadado com a venda da Cemig (relembrando: apenas R$ 3,9 bilhões) paga apenas uma folha salarial do funcionalismo estadual, que hoje está em R$ 3,846 bilhões.

- Os trabalhadores da Cemig são qualificados e experientes. O próprio ex-presidente da Cemig indicado por Romeu Zema, Cledorvino Bellini, elogiou os trabalhadores da empresa. “Nunca em minha experiência profissional havia conhecido pessoas mais comprometidas com o trabalho”, disse em audiência na Assembleia Legislativa.

A Cemig é, hoje, a principal estatal de energia elétrica do Brasil, atuando na geração, transmissão e distribuição de energia. É uma empresa fundamental para o desenvolvimento econômico e social de Minas Gerais, apoia iniciativas assistenciais (como Santas Casas e creches espalhadas pelo estado) e negocia com municípios em dificuldades financeiras. Privatizar uma empresa tão importante para Minas Gerais, como é a Cemig, não nos parece razoável sob qualquer ponto de vista.

Por todos os motivos apresentados, somos contra a privatização da CEMIG.
Postado: 11 maio 2020 (Atualizado: 22 maio 2020)