Clique em Configurações de Cookies para usar este recurso.
Em seguida, clique em 'Permitir Todos' ou ative apenas os 'Cookies Publicitários'
Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Urgente: Barrar o CORONAVÍRUS instalando triagem por TERMOGRAFIA nos aeroportos do Brasil

Urgente: Barrar o CORONAVÍRUS instalando triagem por TERMOGRAFIA nos aeroportos do Brasil

213 assinaram. Vamos chegar a   300
213 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Pedro A. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Pedro A.
começou essa petição para
Ministério da Saúde
A pandemia do novo Coronavírus (COVID-19) já alcançou proporções alarmantes. Até o presente momento, ele infectou 487,6 mil pessoas e se espalhou por todo o planeta, em 175 países. Ela foi declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como "emergência de saúde pública global" e já provocou 22.030 mortes (até o dia 26 de março). Antes limitada à China, agora vemos resultados lamentáveis também em muitos outros países. Na Itália, por exemplo, a doença tem provocado cerca de 600 a 800 mortes diárias. Os danos que a pandemia tem causado à economia mundial também são expressivos: quedas generalizadas nas bolsas mundiais e empresas totalmente paradas sem possibilidade de trabalho. Além disso, o vírus finalmente chegou ao Brasil: são 2563 casos confirmados e 60 mortes até então, com quase todo o país em estado de calamidade pública.

A pandemia tem se expandido rapidamente através das fronteiras e é imprescindível que façamos esforços para resistir a essa expansão com todas as ferramentas que tivermos. Uma das formas fundamentais de dificultar a penetração de um vírus em um país é a identificação de passageiros infectados já na sua entrada nos aeroportos. Para isso, existe o sistema de triagem por termografia, que detecta indivíduos em estado febril.

Uma câmera de termografia é instalada em frente a uma área de grande fluxo de passageiros, como uma fila, e faz a leitura imediata da temperatura de seus rostos. Caso a pessoa seja identificada com febre, um alarme visual/sonoro dispara para o operador da câmera e o indivíduo é encaminhado para uma sala isolada, em que fará exames mais aprofundados para identificar se há a presença de um patógeno contagioso como um vírus - como é o caso do Coronavírus.

Um sistema como esse tem custo relativamente baixo e sua instalação é rápida. As câmeras não precisam de especialistas para serem operadas: basta um treinamento simples para capacitar o operador a fazer as leituras adequadamente. O custo-benefício para conter uma epidemia global compensa para a adoção desta medida pelas autoridades competentes. A instalação destes sistemas de rastreamento de febre entre passageiros é um investimento: o país estará pronto e munido para futuros desafios que podem ser até mais arrasadores que o Coronavírus, como foi o vírus do Ebola, que pode chegar a uma taxa de mortalidade de 90% se não tratado a tempo.

Infelizmente, o Brasil NÃO POSSUI esse sistema instalado em seus aeroportos. Inúmeros países na Europa, Ásia e outros continentes já adotaram esta medida anteriormente - como os Ministérios da Saúde da França, da Tunísia, da Turquia e dos Emirados Árabes, para mencionar alguns. No Brasil, empresas como a Samsung já adotaram o sistema como forma de garantir seu funcionamento e proteção do ambiente de trabalho.

Como cidadão, exijo aos responsáveis competentes que sejam tomadas medidas emergenciais frente à situação atual.

Postado: 3 Fevereiro 2020 (Atualizado: 26 março 2020)