Clique em Configurações de Cookies  para usar este recurso.
Em seguida, clique em 'Permitir Todos' ou ative apenas os  'Cookies Publicitários'
Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies .
OK
Pela Implementação do CAPS III Ceilândia!

Pela Implementação do CAPS III Ceilândia!

1 assinaram. Vamos chegar a
50 Apoiadores

Complete a sua assinatura

,
Avaaz.org protegerá sua privacidade. e te manterá atualizado sobre isso e campanhas similares.
Esta petição foi criada por Rayna M. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Rayna M.
começou essa petição para
Pacientes e funcionários da saúde, bem como a comunidade em geral.
Os dispositivos CAPS, ainda que não atuem diretamente nas demandas clínicas relacionadas a Covid-19, são de extrema relevância no atendimento aos agravos de saúde mental. Durante a pandemia foi possível observar um aumento na busca por este serviço, pois o cenário de isolamento social contribuiu para a elevação do sofrimento psicológico. Diante desse aumento de demanda, nós, abaixo-assinados, vimos por meio deste, manifestar nossa indignação com a possibilidade de que o Centro de Atenção Psicossocial – CAPS III da Samambaia passe a receber usuários com sofrimento mental oriundos da Ceilândia e Sol Nascente. Nossa preocupação está relacionada com o fato de que este serviço já atende além de sua capacidade tendo, inclusive, fila de espera para primeira consulta e atendimentos com equipe de referência. Sabemos que o CAPS de Taguatinga também atende além de sua capacidade e conta com poucas horas de profissionais, principalmente médicos. Além da ampliação da demanda e da transferência de problema, há outros fatores que requerem urgência na implantação de um serviço de saúde mental naquela região. Isto é, devido sua grande população, é preciso considerar a dificuldade no transporte e as demais situações de vulnerabilidade social vivenciasa pelos habitantes de Ceilândia. Muitas famílias não conseguem dar seguimento ao tratamento nos CAPS de Samambaia ou Taguatinga devido à distância e a falta de recursos financeiros para o transporte.Com isso, a estratégia pensada, de direcionar estes pacientes para os Caps mencionados acima irá apenas transferir os problemas de um serviço para o outro. A solução é a criação de um Caps na Ceilândia! Assim, nós, cidadãos, usuários e funcionários da política de saúde mental exigimos respostas quanto à implantação do Caps Ceilândia!
Postado (Atualizado )