Clique em Configurações de Cookies  para usar este recurso.
Em seguida, clique em 'Permitir Todos' ou ative apenas os  'Cookies Publicitários'
Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies .
OK
Aumento da margem consignável para empréstimos mais baratos

Aumento da margem consignável para empréstimos mais baratos

1 assinaram. Vamos chegar a
50 Apoiadores

Complete a sua assinatura

,
Avaaz.org protegerá sua privacidade. e te manterá atualizado sobre isso e campanhas similares.
Esta petição foi criada por Consumidor B. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Consumidor B.
começou essa petição para
Secretário Especial do Trabalho e Previdência Bruno Bianco
Para amenizar os terríveis efeitos na vida brasileira da pandemia de COVID-19, nós brasileiros e brasileiras, aposentados e pensionistas do INSS, bem como servidores públicos federais, abaixo assinados, pedimos ao senhor secretário especial do Trabalho e Previdência Bruno Bianco que retome os esforços para conclusão das medidas propostas, no dia 16 de março, quando sabiamente anunciou:
- Aumento do prazo máximo de contratação do crédito consignado para 84 meses (já em vigor)
- Redução da taxa de juros para o teto de 1,80% (já em vigor)
- Aumento da margem consignável de 30 para 35% (aguardando deliberação)


Juntas, essas medidas representam um grande alívio ao orçamento de milhões de brasileiros que terão condições de renegociar seus empréstimos com condições mais vantajosas, através da linha de crédito pessoal que segundo o Banco Central tem as menores taxas do país.

O aumento da referida margem permitirá não somente o pagamento de outras dívidas com juros maiores em atraso, nos libertando de parcelas maiores, como também que nos permitirá apoiar filhos e netos nos micro e pequenos negócios que vão retomar a fragilizada economia brasileira pós-pandemia, visto que milhões já estão desempregados e sem qualquer perspectiva de renda após o auxílio-emergencial.
Como servidor público de carreira, o sr secretário conhece a responsabilidade e a referência de estabilidade que temos em nossas famílias e o quanto somos demandados em momentos de crise na família, ainda mais quando já uma crise dessa proporção em todo país.
Contamos com seu apoio as 3 medidas anunciadas, na certeza de que o sr. não faltará aos colegas do serviço público federal e a milhões de aposentados que deram uma vida de trabalho pelo nosso país.










Postado (Atualizado )