Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Vasco da Gama Campeão Intercontinental (1953/1957)

Vasco da Gama Campeão Intercontinental (1953/1957)

17,081 assinaram. Vamos chegar a   20,000
17,081 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Michel Alves da S. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Michel Alves da S.
começou essa petição para
Fédération Internationale de Football Association (FIFA), FIFA, fifa.com
FIFA por favor, reconheça o Vasco como BI‐Campeão Mundial, conforme os fatos e a história por si própria diz. Respeitem a história do nosso futebol. FAMÍLIA VASCAÍNA, ASSINE!

Prezados como mostra a história e os fatos, é que Clube de Regatas Vasco da Gama foi um dos primeiros a conquistar títulos intercontinentais, assim dito, em 1953 o Torneio Octogonal Rivadavia Corrêa Meyer conquistado pelo Vasco da Gama, em que participaram também as equipes Hibernian (Escócia), Olimpia (Paraguai), Sporting (Portugal), o torneio foi autorizado pela FIFA, comprovada pela participação do presidente da Federação Italiana e vice‐presidente e Secretário‐Geral da FIFA Ottorino Barassi na sua organização. Porém, para o Torneio Rivadavia de 1953, é registrada nos jornais da época a participação de Ottorino Barassi no recrutamento apenas do representante italiano, que poderia ser Juventus, Internazionale ou Milan (sem haver menções a que ele recrutaria clubes de outros países), o campeão português Sporting Lisboa (campeão português em 1951, 1952 e 1953) fez um "tour de force", não querendo perder nem a Copa Latina nem o torneio brasileiro, participando de ambas as competições, esse mesmo formato e torneio internacional em que o Palmeiras foi reconhecido a pouco tempo pela FIFA como campeão mundial de 1951, agora em 1957 o titulo mundial Vascaíno é ainda mais explicito.

Torneio Internacional de Paris de 1957, torneio esse organizado claramente para definir qual a maior potencial America x Europa, a imprensa da época observou a natureza intercontinental da disputa final, como uma disputa Rio de Janeiro X Europa: antes da partida entre Vasco e Real Madrid, o jornal Tribuna da Imprensa escreveu: Ambas as equipes estão credenciadas à conquista do rico troféu que está em jogo e representam a força máxima dos dois centros futebolísticos, pois enquanto os vascaínos ostentam o título de campeões cariocas(que era o principal titulo nacional brasileiro e das Américas da época), os espanhóis levam o galhardão de haverem conquistado por duas vezes consecutivas a Taça da Europa.

Ainda no caso da edição de 1957 do Torneio de Paris, um vídeo, com imagens da partida e narrado em francês (atribuído à TV francesa) cita a final entre Vasco e Real Madrid como o jogo entre "a melhor equipe da América do Sul X o campeão europeu" àquela final do Torneio de Paris. (FONTE: https://www.youtube.com/watch?v=BULRdd2n‐tE)

A derrota do Real Madrid para o Vasco da Gama teve impacto na imprensa européia, que registrou que a derrota do Real Madrid para o Vasco elevava o nome do futebol brasileiro na Europa, mostrava que "o Real Madrid não era invencível", que "com brasileiros em campo, nada mais existia, nem mesmo o Real Madrid", que "o Real Madrid, campeão da Europa, estava inferior à equipe do Vasco da Gama", e que o Vasco, "representante sul‐americano"naquele torneio, era uma prova de que o futuro do futebol não era a Europa mas sim a América do Sul.

Segundo um dirigente do Vasco da Gama, no Torneio de Paris o clube mostrou ao mundo o que era o verdadeiro futebol brasileiro, o que viria a ser ratificado logo depois na Copa do Mundo de 1958 e que também o Vasco era a base da seleção.

Segundo o jornal Tribuna da Imprensa de 1958, a ideia para a criação da Copa Intercontinental veio de João Havelange e Jacques Goddet, este do jornal L'Equipe. Segundo a matéria, Jacques Goddet era o proprietário e residia no estádio Parc des Princes, onde o Racing Club de Paris mandava suas partidas e onde ocorreu a final do Torneio de Paris de 1957. Obviamente foi tomado como base esse torneio para a criação da Copa Intercontinental.

Lembrando que no mesmo ano o Vasco derrotou o Barcelona por 7x2, marcada na história como a maior goleada sofrida pelo Barcelona em jogos internacionais. Façam me o favor, Vasco da Gama foi imbatível e sem sobras de dúvidas o melhor time do mundo.

FIFA por favor, reconheça o Vasco como BI‐Campeão Mundial, conforme os fatos e a história por si própria diz. Respeitem a história do nosso futebol.