Clique em Configurações de Cookies para usar este recurso.
Em seguida, clique em 'Permitir Todos' ou ative apenas os 'Cookies Publicitários'
Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Google: Google, Salve a Internet do Brasil!

Google: Google, Salve a Internet do Brasil!

31,844 assinaram. Vamos chegar a   50,000
31,844 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Dinart F. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Dinart F.
começou essa petição para
Google
Somos o quarto país mais conectado na internet no mundo, mas todas as empresas que servem internet no Brasil estão adotando o esquema de limite mensal de tráfego. O serviço já é bem caro, cheio de falhas e agora limitado. O limite é baixo, fala-se em algo em torno de 50GB e 100GB por mês, o que termina sendo muito pouco para quem usa serviços de streaming como o Youtube, google tv, quem tem mais de 1 usuário de internet em casa, pra quem utiliza serviços em nuvem como o Google Drive e o Picasa.
As consequências disso serão:

A diminuição de utilização da rede.

Perdas significativas na área de educação (e-learning em geral).

Prejuizo no uso de serviços em nuvem (google drive, backups online e afins).

Encolhimento no mercado de videogames.

Dificuldades e até impossibilidade para quem trabalha remotamente.

Menos estabelecimentos comerciais oferecendo internet aos seus clientes.

Atraso de toda a cadeia produtiva nacional,
excepcionalmente para a área de tecnologia.

Precisamos de produtos como a rede Google Fiber ou algo do tipo funcionando no Brasil para reverter esse retrocesso.

Postado: 9 abril 2016 (Atualizado: 25 abril 2016)