Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Membros do Congresso Nacional; STF; Ministro da Saúde; Ministro da Justiça: Encaminhem e aprovem legislação de descriminalização do aborto

Membros do Congresso Nacional; STF; Ministro da Saúde; Ministro da Justiça: Encaminhem e aprovem legislação de descriminalização do aborto

3,335 assinaram. Vamos chegar a   5,000
3,335 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Lena L. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Lena L.
começou essa petição para
Membros do Congresso Nacional; STF; Ministro da Saúde; Ministro da Justiça
Acorda Brasil!
Até quando mulheres morrerão?

Jandira Magdalena dos Santos Cruz, 27 anos, e agora Elizângela Barbosa, 32 anos, presumivelmente faleceram porque optaram por interromper uma gravidez indesejada. Na maioria dos paises desenvolvidos, Jandira e Elizângela teriam acesso a um abortamento seguro, realizado por profissionais qualificados, na rede pública e gratuita, exercendo o direito de opção em sua vida reprodutiva e sendo amparada no exercício deste direito de cidadania. Mas, no Brasil, Jandira e Elizângela tiveram que recorrer a uma clínica clandestina e, ao que tudo indica, passaram por um procedimento realizado em condições inseguras e inadequadas. Elas estão desaparecida, Jandira, desde 26 de agosto de 2014. Já Elizângela foi levada num quadro de emergência a um hospital onde veio a falecer. Esses dramáticos episódios viraram página policial, quando são, sobretudo, uma página lamentável da saúde reprodutiva das mulheres brasileiras. O caso Jandira e, agora o caso Elizângela, remetem a uma questão de direitos humanos em um contexto nacional de crescente negação dos direitos reprodutivos das mulheres que, diariamente, no Brasil, recorrem ao aborto clandestino como única forma de exercer o direito a opção. PELA LEGALIZAÇÃO DO ABORTO!


English Version:


WAKE UP BRAZIL!


Jandira Magdalena dos Santos Cruz (27 years old) and Elisângela Barbosa (32 years old) have died because they have chosen to terminate an unwanted pregnancy. In most developed countries, Jandira and Elisângela would have access to a safe abortion, performed by skilled professionals in public health facilities and would be able to exercise to make choices in their reproductive lives and to receive the necessary support to exercise this citizenship right. But in Brazil, they had to resort to clandestinity and undergo unsafe procedure performed in totally inappropriate conditions.


Jandira is missing missing since August 26, 2014 and Elisângela corpse has been found on September 22. These tragedies gained visibility in the police sections of printed, TV and digital media, even when they they constitute, in fact. a regrettable page in the records of women's reproductive health conditions in Brazil. The Jandira and Elisêngela cases are human rights violations, in a national context that witnesses the expanding denial the reproductive rights of women who daily resort to unsafe and illegal abortion as the only possible way to exercise the right to choose. We therefore call for the legalization of abortion in Brazil and count with your support!