Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK

Como fazer uma verificação de fatos da sua petição

Por que fazer uma verificação de fatos?

Assinar uma petição é um ato de confiança. É um requisito que todas as informações presentes nas Petições da Comunidade da Avaaz sejam verdadeiras e precisas. Este requisito é sinalizado durante o processo de criação da petição e nas nossas normas de conteúdo.

Como fazer a verificação de fatos da sua petição

 

USE FONTES CONFIÁVEIS

Pesquise na internet para encontrar fontes confiáveis para cada fato que você afirmar, como por exemplo, documentos oficiais e artigos de notícias de meios de comunicação confiáveis. Os fatos apresentamos pelos meios de comunicação estabelecidos são muito mais confiáveis que aqueles apresentados por um blog anônimo, um website para determinados nichos de mercado, ou posts de redes sociais porque os meios de comunicações profissionais se preocupam com sua credibilidade e são obrigados a cumprirem procedimentos para fazer a verificação de fatos.

 

OPINIÕES VS. FATOS

Fatos são declarações que podem ser verificadas. Opiniões são uma expressão da crença ou julgamento de alguém. No exemplo a seguir, “Meu bairro tem uma loja que vende sorvete de cereja, que eu amo” há dois fatos, seguidos por uma opinião.

 

EVITE FAZER ALEGAÇÕES QUE VOCÊ NÃO POSSA VERIFICAR

Evite dizer, por exemplo: “A construção da nova rodovia matará todos os ursos”, se não houver evidência para corroborar essa alegação. Neste caso, considere expressar sua preocupação com base na sua opinião ou na opinião de outras pessoas. Por exemplo: “especialistas do Departamento de Animais Selvagens afirmaram que o habitat dos ursos seria dividido em dois pela rodovia, ameaçando a movimentação e sobrevivência dos ursos nos invernos mais frios”. Ou, “A nova rodovia poderia ameaçar a sobrevivência dos ursos, porque eles precisarão deslocar-se para encontrar comida.”

 

NENHUMA FONTE PÚBLICA DISPONÍVEL?

Caso você não consiga encontrar nenhum documento público ou notícias de meios de comunicação confiáveis para corroborar seu texto, se pergunte a razão dessa falta de fontes. Você tem certeza de que a informação que você apresentou é precisa? Quais evidências você possui? Certifique-se de manter o máximo possível de transparência sobre suas fontes. Caso ela seja baseada em algo que você testemunhou, diga isso e informe o máximo possível de detalhes. E use seu nome verdadeiro, a menos que haja um motivo muito forte para não usá-lo (apenas o primeiro nome e a primeira letra do último sobrenome aparecerão no site).

Aqui está um exemplo de uma petição que passou por uma verificação de fatos:

 

Parem a exploração de petróleo na costa antiga do Algarve! 

 

O Algarve atrai milhões de visitantes [1] até as suas praias maravilhosas, boa comida e clima agradável [2]. Essa região depende do turismo [3], que por sua vez, depende da manutenção de um ambiente limpo e águas limpas.

A petrolífera ENI/Galp conseguiu uma licença [4], contra a vontade da população [5], para perfurar em uma rota de migração para golfinhos e baleias, sem um estudo de impacto ambiental [6]. E é uma área com alto risco de terremoto [7].

Nós somos pessoas do mar, não somos limpadores de petróleo. Trata-se de um crime em potencial - como o desastre no Golfo do México - por favor, nos ajude a evitá-lo

 

FONTES:

[1] Verdadeiro: O Algarve recebeu mais de 4 milhões de turistas em 2016 (em inglês)
https://en.wikipedia.org/wiki/Tourism_in_Portugal
https://www.ine.pt/ngt_server/attachfileu.jsp?look_parentBoui=299820007&att_display=n&att_download=y

[2] Essa declaração não precisa ser submetida a uma verificação de fatos porque não se trata de fatos. Independente de achamos algo bonito, legal, errado ou correto - trata-se de uma opinião.

[3] Verdadeiro: O turismo é a principal indústria do Algarve (em inglês):
https://ec.europa.eu/growth/tools-databases/regional-innovation-monitor/base-profile/algarve-region-portugal-0

[4] Verdadeiro: A ENI/Galp recebeu uma licença para explorar a costa do Algarve (em inglês):
http://www.theportugalnews.com/news/algarve-oil-drilling-approved/45624

[5] Pode o autor da petição falar em nome da vontade da população? Nesse caso, sim: houve uma consulta pública sobre a necessidade de um estudo de impacto ambiental. 100% da consulta pública, ou em outras palavras, 42.000 pessoas, exigiram o estudo, que no final das contas NÃO foi conduzido pela agência ambiental:
https://www.dn.pt/lusa/interior/petroleo-lpn-indignada-subscreve-receios-de-plataforma-algarve-livre-de-petroleo-9352627.html

- O relatório final pode ser baixado no item "Relatório de Consulta Pública", no seguinte link:
http://participa.pt/consulta.jsp?loadP=2160
- RTA, a Região de Turismo do Algarve, também se opôs à perfuração sem o estudo de impacto ambiental:
https://www.dn.pt/lusa/interior/petroleo-avanco-do-furo-sem-estudo-poe-em-risco-habitantes-do-algarve---turismo-9351924.html
- 16 cidades na região protestaram contra as permissões para perfuração:
https://www.dn.pt/lusa/interior/municipios-do-algarve-criticam-governo-e-pedem-fim-da-prospecao-de-petroleo-9110491.html

[6] Verdadeiro: O governo emitiu as permissões sem o estudo de impacto ambiental (em inglês):
https://algarvedailynews.com/news/14246-no-environment-impact-assessment-needed-oil-drilling-to-go-ahead-off-aljezu

[7] Verdadeiro: Algarve e Lisboa são as áreas com maior risco de terremotos em Portugal (em inglês):
http://www.theportugalnews.com/news/new-study-shows-algarve-and-lisbon-are-most-prone-to-earthquakes-as-small-tremor-hits-faro/40939
A maior e mais efetiva comunidade de campanhas online para mudanças