Somália: o mundo está ao seu lado

Para Hassan Mohamoud, presidente da Somália, Omar Sharmarke, primeiro-ministro e Zahra Samantar, ministra para as Mulheres e Desenvolvimento dos Direitos Humanos:

Como cidadãos globais atentos aos direitos de mulheres e meninas, queremos parabenizá-los pelos esforços para banir a mutilação genital feminina (MGF) na Somália. Nós aprovamos em sua totalidade a proibição completa proposta pelo governo de Puntland e incentivamos o governo federal a tomar medidas legislativas urgentes. Se a Somália aprovar um banimento agora, e, em seguida, fizer campanhas de conscientização, o país se tornará o símbolo mundial da tolerância zero com essas práticas cruéis.
 
Preencha o seu email:
Por favor acione o Javascript para uma performance melhor desta página
Avaaz.org vai proteger sua privacidade e manter você informado sobre esta e outras campanhas semelhantes.
Blurb_campaign19001 PostActionContent

200 milhões de mulheres e meninas, em 30 países, sofreram a mutilação genital feminina (MGF). Mas na Somália, onde absurdos 98% das meninas passam por isso, a ministra para as Mulheres e Direitos Humanos está tentando proibir a prática. Especialistas locais dizem que uma onda de apoio mundial pedindo por tolerância zero pode ajudar o governo a conseguir banir essa crueldade em questão de semanas!

O estado autônomo de Puntland, no nordeste da Somália, acabou de propor a proibição total da mutilação; o governo federal já adotou políticas progressistas vindas desse estado anteriormente. Se um número suficiente de nós pedirmos que esses governantes corajosos defendam a vida das meninas, podemos conseguir a aprovação da lei no Parlamento. Juntem-se ao apelo e compartilhem com todos:

Imagem: Ivan Lieman/ Barcroft Media

Compartilhe nas redes

Clique para copiar: