Clique em Configurações de Cookies para usar este recurso.
Em seguida, clique em 'Permitir Todos' ou ative apenas os 'Cookies Publicitários'
Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies .
OK

"Eu não consigo respirar"
-- Assine a carta pública contra o racismo e a violência policial

Nós, cidadãos do mundo, lamentamos a perda absurda de outra vida nas mãos da polícia dos Estados Unidos.

Nos unimos ao lado de todos aqueles que estão sofrendo.

Esses assassinatos brutais devem cessar. Cada um deles é uma ferida aberta no coração da humanidade e uma marca vergonhosa e perpétua na história dos Estados Unidos.

O racismo prospera quando ficamos em silêncio. Por isso, não nos calaremos. A discriminação é um problema que pertence a todos nós. A luta é nossa.

Mas não podemos permitir que essa luta se transforme em ódio, pois quando isso acontece, não somos melhores do que aqueles cujos pensamentos buscamos mudar. Nas palavras do Dr. Martin Luther King: "A escuridão não pode expulsar a escuridão, apenas a luz pode fazer isso. O ódio não pode expulsar o ódio, só o amor pode fazer isso."

É com esse sentimento que convocamos todos aqueles que estão no poder a agir AGORA obrigando o presidente Trump e os governos estaduais e locais dos EUA a:
  • Garantir que todos os policiais envolvidos no assassinato de George Floyd sejam julgados de acordo com o devido processo legal;
  • Expulsar e indiciar policiais por uso de força excessiva ou por não intervirem quando ela é usada, ainda que em um único caso;
  • Assegurar que todas as mortes causadas pela polícia sejam investigadas de forma independente e transparente.
Nós nos comprometemos a fazer a nossa parte, enfrentando o medo, a raiva e a ignorância do racismo com toda a esperança, amor e força da nossa humanidade.

Descanse em paz, George Floyd.
Sua morte não será em vão.


Preencha o seu email:
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

Assinaturas recentes


Essas foram as últimas palavras de George Floyd, um homem de 46 anos que morreu nos Estados Unidos enquanto um policial o imobilizava no chão, ajoelhado sobre seu pescoço por quase 9 minutos:

“Cara, meu rosto
Eu não fiz nada grave
por favor
por favor
por favor, eu não consigo respirar
por favor, cara
por favor, alguém
por favor, cara
Eu não consigo respirar
Eu não consigo respirar
por favor
(inaudível)
cara, eu não consigo respirar, meu rosto
sai de cima
Eu não consigo respirar
por favor (inaudível)
Eu não consigo respirar, droga
Eu vou
Eu não consigo me mexer
mãe
mãe
Eu não consigo
meu joelho
meu pescoço
eu vou morrer
eu vou morrer
Me sinto claustrofóbico
meu estômago dói
meu pescoço dói
tudo dói
alguém me dê água ou algo
por favor
por favor
eu não consigo respirar, policial
não me mate
cara, eles vão me matar
por favor
Eu não consigo respirar
Eu não consigo respirar
eles vão me matar
eles vão me matar
Eu não consigo respirar
Eu não consigo respirar
por favor, senhor
por favor
por favor
por favor, eu não consigo respirar"

Então ele fechou os olhos e as súplicas pararam. George Floyd foi declarado morto pouco tempo depois.

Neste momento, nós temos uma escolha. Essa pode ser apenas mais uma morte trágica nas mãos da polícia estadunidense ou pode ser a hora da mudança.

Somos um movimento com mais de 60 milhões de pessoas. Se todos nos posicionarmos, nosso grito será ensurdecedor. Então vamos erguer nossas vozes e nos unirmos a todos que clamam pelo fim dessas mortes racistas, pressionando aqueles que estão no poder a fazer o mesmo.

Assine esta carta aberta com apenas um clique. Quando ela estiver gigantesca, a Avaaz irá publicá-la nos principais jornais dos EUA e em sites em todo o mundo. Que ela seja um hino para acabar com os assassinatos e honrar todos aqueles que já perdemos.

Compartilhe nas redes

Clique para copiar: