Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK

Investiguem os cofres suíços agora!

Ao Secretário da Receita Federal Jorge Rachid; ao Procurador-Geral da República Rodrigo Janot; e outras autoridades relevantes:

O escândalo do banco HSBC na Suíça chocou o mundo. Como cidadãos engajados, pedimos que os senhores agilizem a investigação dessas mais de 8 mil contas secretas abertas por brasileiros super ricos, liberem a lista de nomes públicos, colaborem com as autoridades internacionais para punir quem quer que esteja usando estes bancos de elite com propósitos ilegais, processem os banqueiros que facilitaram a sonegação de impostos e endureçam as regras sobre impostos para que isso não aconteça outra vez.

Preencha o seu email:
Por favor acione o Javascript para uma performance melhor desta página
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

Assinaturas recentes

Nossas assinaturas estão conectadas à campanha global contra a evasão de impostos envolvendo o HSBC na Suíça -- até agora, 104.575 pessoas assinaram a campanha do Brasil nesta página.


Um escandaloso vazamento de documentos mostrou que brasileiros super ricos escondem quase R$20 bilhões em 8 mil contas secretas – e possivelmente ilegais – na filial suíça do banco HSBC. Vamos agir rápido e garantir que eles não escapem da justiça.

O governo brasileiro sabe quem está na lista de clientes e disse que está investigando, mas até agora não houve ação real para agilizar a investigação e punir os sonegadores e os banqueiros corruptos. Outros governos já estão agindo, mas cadê o Brasil?

O secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, pode agir sobre o caso, mas para isso ele precisa ouvir de centenas de milhares: ninguém é rico demais para não ser preso! Quando atingirmos massa crítica, organizaremos ações para pressionar a Receita e outras autoridades relevantes a fazerem seu trabalho e investigarem o caso antes que tudo acabe em pizza.