Update your Cookie Settings to use this feature.
Click 'Allow All' or just activate the 'Targeting Cookies'
By continuing you accept Avaaz's Privacy Policy which explains how your data can be used and how it is secured.
Got it
We use cookies to analyse how visitors use this website and to help us provide you the best possible experience. View our Cookie Policy .
OK
Secretário Geral da ONU, Conselho de Segurança ONU, OMC, boicote de Moçambique através de sanções tal como apartheid

Secretário Geral da ONU, Conselho de Segurança ONU, OMC, boicote de Moçambique através de sanções tal como apartheid

98 have signed. Let's get to 1,000,000
98 Supporters

Close

Complete your signature

,
By continuing you agree to receive Avaaz emails. Our Privacy Policy will protect your data and explains how it can be used. You can unsubscribe at any time. If you are under 13 years of age in the USA or under 16 in the rest of the world, please get consent from a parent or guardian before proceeding.
This petition has been created by Charles A. and may not represent the views of the Avaaz community.
Charles A.
started this petition to
Secretário Geral das Nações Unidas, Conselho de Segurança ONU, OMC, UNICEF
Restituição dos direitos humanos em Moçambique, pleitados na Constituição no país e subscritos na carta das Nações Unidas, na Carta Africana dos Direitos Humanos, retirar Moçambique da exposição a mais uma guerra civil, iniciada a 21/10/2013, opondo a frelimo e a renamo entanto que alas militarizadas no país, a massiva violação dos direitos humanos em matérias de respeito a vida, o desrespeito é consubstanciado pelo baleamento do parlamentar Armindo Milaco em Gorongosa, do jovem músico em Quelimane, do menino na Beira, de supostos integrantes da renamo em Nampula, raptos e assassinatos nos grandes centros urbanos com maior relevância para a cidade e província de Maputo, o baleamento de crianças nas manifestações de 05/02/2009 em Maputo, as explosões do arsenais militares em 2007 (Beira e Maputo) causando mortes, mutilações e destruição em larga escala, assassinato do conceituado jornalista Carlos Cardoso, o recente interrogatório pela Procuradoria da República ao Professor Dr. Nuno Castel Branco, a classificação de Moçambique como um dos piores IDH no mundo, a generalizada falta de sensibilidade do governo e da conjuntura política vigente em relação a crescente e imparável degradação da vida humana em Moçambique, a sociedade Moçambicana está exposta ao ódio entre os homens, num país onde o amor, a fraternidade, a solidariedade, o direito constitucional, o direito público é propriedade privada do poder político militarizado, impondo supremacia de obediência obrigatória pela cidadania por um lado, por outro, Moçambique tem a renamo, outra ala politica militarizada que através de confrontação armada, procura buscar consensos com o regime político no poder, para uma hipotética cedência e partilha da hegemonia do poder.
Posted (Updated )