By continuing you accept Avaaz's Privacy Policy which explains how your data can be used and how it is secured.
Got it
We use cookies to analyse how visitors use this website and to help us provide you the best possible experience. View our Cookie Policy.
OK
Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo:

Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo:

1,151 have signed. Let's get to  2,000
1,151 Supporters

Close

Complete your signature

,
By continuing you agree to receive Avaaz emails. Our Privacy Policy will protect your data and explains how it can be used. You can unsubscribe at any time.
This petition has been created by Rede ESC Aglomerado Urbano de J. and may not represent the views of the Avaaz community.
Rede ESC Aglomerado Urbano de J.
started this petition to
Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo
Você sabia que apesar de ser reconhecida pela UNESCO como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, apenas 10% da Serra do Japi recebe 100% de proteção?

A Serra do Japi é considerada uma das últimas florestas de mata atlântica do Estado de São Paulo, somando 354 km e integrando as cidades de Jundiaí, Pirapora do Bom Jesus, Cajamar e Cabreúva. É considerada, também, o “Castelo das Águas”, pois é fonte de abastecimento de água potável para para Cabreúva, Itupeva, Salto, Itu, Jundiaí e Indaiatuba.

Mas, temos um grande desafio a ser vencido:

Menos de 10% da área tombada da Serra do Japi é uma Unidade de Conservação e Proteção Integral. Há quase 10 anos o projeto de Lei 652/2009 (Inquérito civil nº MP: 14.1090.0000050/2015-4) tenta transformar a área total em Parque Estadual, o que resolveria a questão da preservação e ela se tornaria UC de Proteção Integral.

Esse PL está apto a ser votado na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. O último andamento do foi dado no dia 28/04/2016, mas nunca entrou na pauta do dia dos deputados estaduais até hoje. Curioso, né?

Isso está acontecendo porque a Serra é visada pela especulação imobiliária, além do comércio desenfreado de eucaliptos nas áreas particulares.

Os eucaliptos consomem grande quantidade de água e formam um verdadeiro "deserto verde", pois, no lugar, nenhuma outra espécie sobrevive e nem os animais encontram lugar para se alimentar, reproduzir e viver. Por isso, o projeto do Parque Estadual Serra do Japi é necessário porque ele transformará toda a área tombada da Serra numa Unidade de Conservação de Proteção Integral.

A proibição da população ao uso das cachoeiras

Inúmeros relatos (com provas de vídeo e fotos) alegam a ação truculenta da polícia ao uso das cachoeiras na Serra do Japi. Sabemos que o uso consciente da Serra, por meio do “conhecer para preservar”, é o melhor meio de aproveitarmos as cachoeiras e as belezas naturais do entorno, sem agredir o meio ambiente e recolhendo o nosso próprio lixo para termos direito de sempre frequentá-la.

Muitos - nem todos - moradores da Serra não concordam com a criação do Parque por não acharem plausível a população usar as cachoeiras. Moradores e frequentadores têm que se unir pelo objetivo de salvá-la, a disputa de egos tem que ser deixada de lado.

Não é nenhum absurdo vermos a população usando as cachoeiras como fins de recreação consciente. No Japão, o “banho de floresta”, Shinrin-yoku, faz parte das políticas públicas de saúde e seus benefícios são cientificamente comprovados. A Serra do Japi é o nosso pulmão e a nossa salvação do estresse, temos que lutar por ela!

Porém, a Prefeitura de Jundiaí já está dando sinais que pode apoiar o Parque, pois em abril deste ano, a Unidade de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente (UGPUMA), realizou uma palestra sobre o conceito de Estrada Parque – que determina restrições de uso para proteger o ambiente com limitadores de velocidade, de acesso, de forma a estabelecer um turismo ecológico. O assunto, faz parte do desenvolvimento do projeto para o bairro da Santa Clara e, tem por objetivo aproximar a sociedade para a construção do trabalho de forma conjunta. Os palestrantes detalharam os impactos das áreas sem proteção e os benefícios dos mecanismos de restrição estabelecidos com a implantação do conceito em vias que exigem proteção à fauna e à flora. Portanto, em breve teremos a primeira Estrada Parque da Serra. Precisamos pressioná-los para que percebam a urgência da criação do Parque Estadual.

O próprio Secretário de Planejamento Urbano e Meio Ambiente da Prefeitura de Jundiaí, Sinésio Scarabello Filho, conclui que para salvar a Serra do Japi é preciso transformá-la em Parque. “A Serra do Japi abriga duas espécies de macaco que podem ser enquadradas como vulneráveis ou ameaçadas de extinção, colocando como relevante para a conservação. Alguns destes pontos sobre a biodiversidade entre outros justificam o Japi se tornar um Parque, seja ele Estadual ou Nacional”. (Sinésio Scarabello Filho. Na trilha de proteção do Japi: o próximo passo. Pág. 286)

"Hoje, a Serra do Japi é uma unidade de conservação de uso sustentável e queremos que ela se torne uma unidade de proteção integral” (Sinésio Scarabello Filho).

Não podemos deixar a especulação imobiliária e os interesses dos mais ricos acabarem com o nosso patrimônio.

Portanto, seu voto é ESSENCIAL!

Vamos fazer pressão nos deputados estaduais para votarem o quanto antes o PL e termos, finalmente, a certeza que a nossa Serra será 100% preservada com a criação do Parque Estadual. A ajuda de cada um de vocês é importantíssima!

Compartilhe com o maior número de pessoas possíveis para que consigamos levar esses votos para a Assembleia Legislativa.

Vamos [email protected]?