Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK

Salvem nossas crianças das bombas de fragmentação

Aos Chefes de Estado em todo o mundo:

Como cidadãos preocupados apelamos a você para fazer tudo em seu poder para parar as bombas de fragmentação de serem utilizadas. Mais de 100 governos concordaram em proibir essas armas indiscriminadas. A Convenção sobre Certas Armas Convencionais que acontecerá nos próximos dias deveria concordar com essa proibição, garantindo que munições de fragmentação sejam proibidas de forma abrangente e crianças inocentes protegidas.

Preencha o seu email:
Por favor acione o Javascript para uma performance melhor desta página
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

Ahmad pegou um objeto de metal brilhante em um parque onde ele estava comemorando seu 5o aniversário no Líbano. Era uma bomba não detonada, que explodiu em seu rosto, matando-o lentamente na frente de sua família.

Três anos atrás, a pressão pública conseguiu impor uma proibição a essas cruéis bombas. Mas agora os EUA estão fazendo lobby com outras nações para que eles silenciosamente assinem uma nova lei que permita a utilização das bombas de fragmentação - assinar a sentença de morte de milhares de outras crianças. A maioria dos países ainda estão em cima do muro sobre como votar. Somente se dispararmos o alarme em todo o mundo poderemos envergonhar nossos governos para impedir que esta decisão mortal seja tomada.

Posições estão sendo tomadas agora. Temos apenas 2 dias até que os países se reúnam para enviar aos nossos líderes uma mensagem clara: defendam a proibição das bombas de fragmentação e mantenham nossas crianças a salvo. Assine a petição - que será entregue diretamente aos delegados na conferência de Genebra.

Postado: 9 novembro 2011

Compartilhe nas redes

Clique para copiar: