Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK

Nós conseguimos - A Europa resiste!

Estamos tão orgulhosos de nosso movimento.

Depois de Trump, Brexit e Bolsonaro, a Europa poderia ser o próximo alvo nas eleições do último final de semana. O último poder democrático global de confiança a se afogar em fake news e no ódio da extrema-direita.

Para enfrentar essa ameaça histórica, a Avaaz expôs e forçou a derrubada do que, provavelmente, foram as maiores redes de desinformação DA HISTÓRIA. Redes cujo veneno teve mais de 3 BILHÕES de visualizações por ano em apenas seis países. O suficiente para alcançar cada um dos eleitores cerca de vinte vezes!

E já que extremistas cheios de ódio também apostam no não-comparecimento dos eleitores às urnas, nós lançamos campanhas inspiradoras de defesa da democracia para incentivar as pessoas a votarem. Elas foram vistas mais de 100 milhões de vezes em toda Europa dias antes da eleição!

O resultado: a maior participação de eleitores em 25 anos! A “onda” de extrema-direita minguou e virou “marola”. Os sociais democratas defensores da justiça e a centro-direita pró-Europa seguem sendo os maiores partidos, e aconteceu uma verdadeira tsunami democrática com os Partidos Verdes, heróis do clima, e os Liberais Democratas, defensores apaixonados da União Europeia, que agora manterão o equilíbrio do poder na nova Europa!

Nossa vitória sem precedentes contra a desinformação saiu nas capas dos jornais de todo o mundo. Jaume Duch Guillot, diretor-geral do Parlamento Europeu, disse: “a Avaaz tem sido uma força poderosa que ajuda o Parlamento Europeu a engajar as pessoas a votarem nessa eleição de 2019”.

Da Espanha ao Vale do Silício, continue lendo para conhecer os bastidores de nossos esforços nesse período eleitoral. Esse foi um trabalho financiado por 80 mil doadores da Avaaz, outros 80 mil voluntários e quase 2 milhões de membros. E assim fizemos história. Obrigado!!!

Nunca estivemos tão orgulhosos. De todos nós.

Europe resists


Derrubando a arma mais poderosa
da extrema-direita

A desinformação é uma assassina de democracias e virou a arma secreta da extrema-direita. Em todos os lugares onde ganharam, eles inundaram as redes sociais com fake news e mentiras tóxicas. A única maneira de realmente acabar com isso é pressionar governos poderosos para regulamentar o Facebook e o YouTube, limpando assim esse veneno. Mas ainda sobrava uma força global que não havia caído nas garras de poderosos disseminadores de desinformação. A Europa. Se a Europa caísse, seria difícil ter esperança na democracia.

Por isso, lançamos um plano audacioso -- construir um time inteiro de “Elfos” altamente talentosos para enfrentar os “trolls”, investigando a desinformação -- e derrubando-a. Página por página. Conta falsa por conta falsa. Dezenas de milhares de nós doaram para tornar isso realidade e mais de 80 mil membros da Avaaz se voluntariaram para ajudar. Nunca algo parecido havia sido tentado antes!

War room

Trabalhando de uma "sala de guerra" em Bruxelas, nosso time de 30 pessoas revelou o que 30.000 monitores do Facebook deixaram passar -- uma imensa teia de redes de desinformação despejando mentiras tóxicas no coração da Europa. Nós entregamos ao Facebook 700 páginas com os resultados de uma investigação detalhada, mostrando como essas redes operam, coordenam e usam contas falsas para enganar as pessoas.

E nós não só expusemos essas redes. Nós as derrubamos! Na Espanha, Itália, Polônia, Holanda, Reino Unido, França e Alemanha. Para qualquer lugar que olharmos, nós tivemos um impacto. O Facebook removeu redes que alcançaram um total estimado de 3 BILHÕES (!!!) de visualizações em apenas um ano!!! É o suficiente para alcançar cada um dos eleitores mais de vinte vezes!

“Eu nunca vi nenhum outro grupo de checagem de fatos ou monitores de desinformação ter um impacto como esse” --Fonte interna do Facebook

No final, importantes políticos europeus, jornalistas e especialistas em segurança vinham à nossa sala de guerra todos os dias buscando informações e notícias, e o Facebook nos agradeceu publicamente. A Avaaz agora está no epicentro dos esforços globais de combate à desinformação.

E nosso trabalho foi destaque na imprensa do mundo todo. Fomos de manchete no The Guardian à primeira página do The New York Times, passando pelo Le Monde, der Spiegel, e El Mundo -- alertando centenas de milhões de europeus sobre a ameaça da desinformação logo antes das eleições. Olha só a cobertura!

Headlines


Conquistando uma Participação Eleitoral Recorde!

E não foi só isso. A extrema-direita sabia que sua maior esperança era conseguir uma baixa participação dos eleitores. Então, um dos objetivos da desinformação era destruir a confiança nas instituições, nos líderes e na democracia -- e fazer com que milhões desistissem de votar.

Então lançamos a maior operação para incentivar o voto na história da Avaaz, montando um time de especialistas super criativos para inundar as redes sociais do continente com uma mensagem de esperança: vote para salvar a Europa.

Nossos vídeos e imagens eram tão inspiradores e populares que foram compartilhados por celebridades, centenas de grupos da sociedade civil, parlamentares europeus e até pelo governo espanhol! Graças também em parte a anúncios online incríveis, pagos com pequenas doações de membros da Avaaz, nosso conteúdo foi visto pelos europeus mais de 100 milhões de vezes durante as eleições -- tudo isso no Facebook, Google, YouTube, Instagram e Snapchat. Olha só os exemplos abaixo!


 

 

 

Enquanto isso, nosso time começou a ligar para organizações enormes, como o Spotify, para incentivá-las a usar seu alcance e encorajar os eleitores a votar. O Spotify tem 70 milhões de usuários na Europa!

E funcionou! A participação eleitoral foi a maior em 25 anos!! E os novos eleitores apoiaram em maioria esmagadora os partidos progressistas e pró-União Europeia, que vão trazer ideias novas e arrojadas para o processo de tomada de decisões.

“A Avaaz foi uma força poderosa que ajudou o Parlamento Europeu a mobilizar o povo para votar nas eleições europeias de 2019. Juntos, conseguimos esse sucesso e aumentamos o número de pessoas que votou pela primeira vez. Isso sim é democracia – obrigado, Avaaz!”-- Jaume Duch Guillot, Diretor-geral de Comunicação do Parlamento Europeu


Não é só na Europa

A campanha não aconteceu apenas na Europa -- nós levamos nossa mensagem para o Vale do Silício também.

Nós defendemos uma solução simples e efetiva para a crise das fake news, que as plataformas poderiam adotar amanhã mesmo: Corrigir os Erros . A ideia é que cada pessoa que vir uma notícia falsa seja avisada sobre isso e receba correções verificadas na sua linha do tempo. Quando pensamos nesse plano, a revista TIME Magazine chamou-o de uma “nova proposta radical que poderia frear as fake news nas redes sociais” (em inglês). Agora isso está sendo testado por algumas das maiores redes sociais do planeta.

Nós levamos corajosos sobreviventes das fake news em Mianmar, Finlândia e dos Estados Unidos para conhecer altos executivos do Twitter, Facebook, Google e YouTube. Quando eles contaram suas histórias, lágrimas brotaram nos olhos de líderes das grandes empresas de tecnologia. Então, uma semana depois, o Twitter baniu o chefe do exército de Mianmar responsável por espalhar um discurso de ódio perverso que ajudou a impulsionar o massacre de milhares de pessoas do povo rohingya!


Disinfo Survivors

Sobreviventes da desinformação: Ethan Lindenberger, Tun Khin e Jessikka Aro

“As reuniões foram muito emocionantes. Eu pude ver na cara deles a descoberta de que não estavam fazendo o suficiente. Eventualmente, a justiça foi feita. Isto não teria sido possível sem a Avaaz. Obrigado!”- Tun Khin, sobrevivente da desinformação contra rohingyas


O ponto de virada

O resultado disso tudo?

A Europa está a salvo! A extrema-direita subiu um pouco, mas ainda é muito fraca. Os progressistas sociais-democratas e os partidos de centro-direita pró-Europa ainda são os maiores, e e a onda dos partidos verdes, defensores do clima e os democratas liberais pró-Europa despontou e eles se firmaram como novas figuras do poder! Muito longe de desmoronar, a Europa será mais forte e melhor do que nunca nos próximos 5 anos. E isso é incrível para a humanidade, em todos os temas, desde a mudança climática à biodiversidade, passando pelos direitos humanos e até na questão das fake news nas redes sociais.

Além disso, a participação dos eleitores foi a maior em 25 anos! Isso é MUITO importante, porque a extrema-direita quer retratar a União Europeia como um projeto das elites e tecnocratas, mas essa eleição acaba com qualquer dúvida: é uma Europa do Povo agora.

Essa eleição foi o resultado de uma sinfonia de humanidade de milhões de cidadãos, líderes, partidos e grupos de ativistas que se uniram para defender os valores que a maioria de nós preza.

E caramba, como nós estamos orgulhosos do papel que desempenhamos nessa sinfonia! Porque a desinformação é uma assassina de democracias. E dessa vez, a democracia matou a desinformação. Nós podemos fazer disso um ponto de virada. Foi a partir de nossas maiores crises que nossos maiores progressos aconteceram. A Declaração Universal dos Direitos Humanos nasceu das cinzas da Segunda Guerra Mundial. Na África do Sul, a brutalidade do Apartheid deu origem a um processo de cura nacional visionário.

E agora, a partir da crise global de ideologias como a de Trump, um novo futuro está surgindo. Um futuro onde as pessoas se unem para defender e renovar nossas democracias. Para enfrentar as mentiras. Para escolher o amor ao invés do ódio . Este é futuro que nosso movimento está moldando. E o que acontecerá em seguida dependerá de todos nós.

Com muita gratidão e orgulho por tudo que nós fizemos juntos,

Ricken, Bert, Christoph, Flora, Fadi, Mike, Antonia, Luca, Luis, Martyna, Pascal, Pati, Nate, Joseph, Julie e todo o time da Avaaz

PS: Quer saber mais? Veja aqui quantas pessoas estima-se que foram alcançadas por essas redes em um ano! (Em inglês) E isso é apenas um pedacinho do que nós fizemos em toda a Europa:

  • 🇫🇷 França: Encontramos desinformação no Facebook relacionada aos protestos dos Coletes Amarelos (em inglês) que alcançaram mais de 100 milhões de visualizações. Então o Facebook removeu a principal página de supremacia branca e rebaixou mais duas por espalhar desinformação sistematicamente.

  • 🇪🇸 Espanha: Poucos dias antes das eleições nacionais, o Facebook removeu páginas com mais de 1,6 bilhão de visualizações em um ano depois que nós as denunciamos! E ainda, fizemos uma investigação inovadora sobre essa festa da extrema-direita e divulgamos os resultados para a mídia pouco antes da votação!

  • 🇮🇹 Itália: Em consequência de nossa investigação, o Facebook derrubou páginas com quase 4 milhões de seguidores que acumularam quase 900 milhões de visualizações por ano.

  • 🇩🇪 Alemanha:  Contas falsas e páginas espalhavam desinformação e pagavam para aumentar o alcance do partido de extrema-direita AfD. Após nosso relatório, o Facebook os derrubou -- uma rede com mais de 100 milhões de visualizações por ano!

  • 🇵🇱 Polônia: Nosso time descobriu uma rede altamente coordenada espalhando conteúdos sectários anti-imigração e anti-Europa, assim como informações falsas e enganadoras. O Facebook respondeu removendo páginas com 1,9 milhão de seguidores e 200 milhões de visualizações por ano

  • 🇬🇧 Reino Unido: o Facebook removeu conteúdos que alcançavam 100 milhões de visualizações por ano e que estavam promovendo pessoas que já haviam sido banidas da plataforma, como o coordenador de campanhas de ódio anti-muçulmanos Tommy Robinson.




Publicado em 30 de maio de 2019. 



Compartilhe nas redes

Clique para copiar: